Os pássaros voavam no céu do meu peito

livres, leves e sem limites

mas perderam-se no chão das tuas palavras

desnutridas, fragmentadas

repouso

ou tento repousar

as asas feridas

talvez perdidas

já sem saberem voar

ando a espiar o abismo desta escuridão

este deserto seco e inóspito

que se alojou no meu coração

e doí

doí sempre

o frio, o negro

das tuas palavras rochosas

posso perder o céu e ganhar o chão

sou hóspede deste corpo e destes pés

ando a espiar os escassos de mim

a colecionar penas

um dia

talvez refaça as asas

e os pássaros voltarão ao céu do meu peito

Carina Fortuna

asa quebrada2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s